Tecnologia

Fim do Google Search como conhecemos. #Google

# Google Search: A Revolução da Pesquisa com Inteligência Artificial

Com as constantes evoluções tecnológicas, o Google surpreende mais uma vez ao implementar mudanças significativas em sua ferramenta de busca. Parece que a gigante da tecnologia jogou para o alto os cartões de índice do roteiro que tem sido escrito nos últimos 25 anos e deixou-os cair aleatoriamente. E o mais impressionante: o roteiro foi escrito por inteligência artificial.

Essas alterações no Google Search vêm sendo planejadas há muito tempo. No ano passado, a empresa reservou uma seção de seus Laboratórios de Pesquisa, que permitem aos usuários experimentar novos recursos experimentais, para algo chamado Experiência Generativa de Pesquisa. A grande questão desde então tem sido se, ou quando, esses recursos se tornariam uma parte permanente do Google Search. E a resposta é, bom, agora.

A reformulação da busca do Google ocorre em um momento em que críticos estão se tornando cada vez mais vocais sobre o que parece para alguns como uma experiência de pesquisa degradada. Pela primeira vez em muito tempo, a empresa sente a pressão da concorrência, especialmente da grande fusão entre Microsoft e OpenAI. Startups menores como Perplexity, You.com e Brave também estão surfando na onda da IA generativa e chamando atenção, mesmo que ainda não tenham alcançado uma relevância significativa, pela forma como estão revolucionando o conceito de busca.

## Respostas Automáticas

O Google afirma ter feito uma versão personalizada de seu modelo de IA Gemini para esses novos recursos de pesquisa. Essa versão específica para buscas impulsionará pelo menos alguns elementos do novo Google Search. As Visões de IA, que o Google já vinha experimentando em seus laboratórios, serão provavelmente o aspecto mais significativo. Resumos gerados por IA agora aparecerão no topo dos resultados de pesquisa.

Um exemplo dos testes da WIRED: em resposta à pergunta “Onde é o melhor lugar para eu ver a aurora boreal?”, o Google não apenas listará páginas da web, mas também fornecerá um texto autoritativo informando sobre os melhores lugares para ver a aurora boreal, como no Círculo Polar Ártico em locais com pouca poluição luminosa. Também oferecerá um link para NordicVisitor.com.

As Visões de IA como essa não aparecerão para todos os resultados de pesquisa, mesmo que o recurso esteja se tornando mais comum. Ele é reservado para perguntas mais complexas. A cada busca, o Google tenta fazer um julgamento de valor algorítmico nos bastidores para decidir se deve apresentar respostas geradas por IA ou um simples link azul para clicar.

As Visões de IA estão sendo lançadas esta semana para todos os usuários do Google nos EUA. O recurso chegará a mais países até o final do ano, o que significa que mais de um bilhão de pessoas verão as Visões de IA em seus resultados de pesquisa. Elas aparecerão em todas as plataformas – web, mobile e como parte da experiência de busca em navegadores, como quando as pessoas buscam pelo Google no Safari.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo